arte · dica · música

Dica musical: “B4da$$” de Joey Bada$$ (2015)

Joey-Badass-Bada-B4.DA_..-album-cover

“B4da$$” é o primeiro álbum de estúdio de Joey Bada$$, lançado semana passada e impressiona, não só pela qualidade de Joey Bada$$ como rapper e compositor de músicas, mas também pelo potencial que ele aparenta ter.

Joey Bada$$ já lançou outros projetos através de seu coletivo de artistas de hip hop, o Pro-Era, como as mixtapes “1999” e “Summer Knights” e tem como premissa artística, se é que podemos chamar assim, restaurar um pouco do bom e velho hip hop, que vimos nascer e aflorar nos anos 80 e 90 nas ruas frias e sujas de Nova Iorque, usando samples de músicas de jazz, R&B e disco, além de focar as letras na mensagem que a música pretende passar, seja ela positiva ou negativa. O que Joey Bada$$ anseia fazer com suas músicas é alimentar os seus pensamentos.

Em “1999”, ele entrou para o mundo da música de forma positiva, com uma mixtape recheada de canções com batidas agitadas, dançantes e um estilo lírico único, apropriando-se de suas origens caribenhas (seus pais não são de algum país da América Central), unindo palavras como os cantores de reggae fazem. Em “Summer Knights”, ele decidiu lançar as músicas que não entraram em “1999”, além de algumas novas, mostrando seu lado mais sério, romântico e menos festeiro, o que não agradou muito, ao menos a mim.

De lá pra cá, muita coisa aconteceu, como a ascensão do seu coletivo de artistas, o Pro-Era e o suicídio de um de seus integrantes e um de seus amigos mais próximos, o que mexe com qualquer um. Então, o que esperar desse CD? Ninguém sabia ao certo e isso só aumenta a excitação, claro, mas pode aumentar a decepção também.

O que, felizmente, não é o caso neste álbum. Como esperado, esse CD é mais sombrio do que “1999”, no entanto, suas letras também são muito mais recheadas de referências, a mensagem é mais profunda, Joey Bada$$ até se deixa dar uma de Shakespeare e Fernando Pessoa ao juntar palavras de suas línguas diferentes e criar um alter ego para si.

As batidas não deixam a desejar, algumas são lentas, mas a maioria são bem marcantes, agitadas ou dançantes, aglomerando diversos ritmos e é possível ver uma clara influência do reggae em várias canções, além das óbvias influências de J Dilla e Nujabes.

Conforme o CD vai se aproximando do fim, a mensagem de Joey Bada$$ vai perdendo o tom revolucionário e filosófico, para ganhar um tom mais “familiar”, mas tocante, criando rimas para seus pais e seus amigos, o que gera um clima sereno, apesar das batidas continuarem agitadas e dançantes, mas sem gerar um contraste gritante e perturbador.

Por falar em batidas, Joey Bada$$ abandona um pouco o seu lado “chato”, de usar apenas batidas mais “orgânicas” e clássicas (old-school, sacumé, né?) e ousa usar batidas eletrônicas, mesclando-as com a sonoridade de instrumentos analógicos, mas se dando essa liberdade, de forma criar uma música mais inventiva e ousada.

Tudo isso contribui para construir um dos melhores CD’s de rap dos últimos anos, sem exagero e isso vindo de uma pessoa tão nova, mas tão consciente de seu talento e suas limitações, apenas faz “B4da$$” ser ainda melhor.

5 pontos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s